Em eleição bastante disputada, muitas conversas nos bastidores e um final já previsto, antecipado na coluna Pedra no Sapato, na edição 365, de 14/12/2018, o vereador Valmir César Francisco (PSDB) foi eleito o novo presidente da Câmara Municipal de Navegantes. Depois de acirradas discussões, a oposição reuniu cinco votos, porém, como o candidato da situação é o mais velho da casa, seria anunciado vencedor do pleito, desta forma, os oposicionistas preferiram nem montar uma chapa para a disputa. Ainda que não houvesse grupo adversário, a urna trouxe o resultado de cinco votos favoráveis e cinco contrários, comprovando o racha existente entre os vereadores, partindo o Legislativo em duas correntes, distintas em idéias, mas numericamente iguais.

A chapa vencedora, além de Valmir no comando, terá Cirino Adolfo Cabral Neto (MDB) como vice presidente, Samuel Vianei Paganelli (PSDB) segundo secretário e Sebastião Alves da Silva (PSDB) primeiro secretário.

A oposição demonstrou muito nervosismo antes, durante e depois da eleição. O prefeito Emílio Vieira (PSDB) mandou para a Câmara um projeto solicitando abertura de crédito no valor de R$ 40 milhões, cujos recursos serão viabilizados junto ao Governo Federal e, caso o projeto seja aprovado, as verbas serão utilizadas na reurbanização e revitalização de várias ruas na cidade. Trata-se do mais importante projeto de urbanização já realizado em Navegantes. Emílio solicitou o agendamento de sessão extraordinária e, para tanto, necessitaria de seis votos favoráveis, o que não conseguiu reunir. O ato foi uma vingança da oposição, antecipando o resultado das eleições, mas errando o alvo, pois quem pagará será a cidade.

Para o colunista político de O Navegantes, jornalista Renato Sandrini, “este jogo do quanto pior melhor, no último dia do ano, mostra dias difíceis para o prefeito no Legislativo em 2019, pois apesar do resultado do pleito, o prefeito Emílio não conta com maioria na casa, lembrando que o presidente é situacionista, porém, o placar tende a ser sempre desfavorável. Chero só vota em caso de empate e ele receberá, teoricamente, sempre um 5X4, favorável à oposição.”.

O clima beligerante que tomou conta do parlamento dengo-dengo se prolongou até mesmo durante o discurso de agradecimento do novo presidente. Chero foi interrompido e bateu boca com vereadores da oposição, comprovando que sua gestão, que terá início em 01/01/2019, pode não ser das mais tranquilas.

O novo presidente passará por uma cirurgia no dia 08 de janeiro, podendo ficar afastado no início dos trabalhos do próximo ano.

Foto: Divulgação/Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA