Na cidade de Navegantes, parte dos serviços públicos não funcionam em função da greve dos servidores públicos, outra parte não funciona por pura incompetência. No domingo (17), uma mulher, grávida de nove meses, acompanhada pela filha de apenas cinco anos, foi até a Delegacia de Polícia para registrar um boletim de ocorrência contra o marido, por agressão. O cidadão não respeitara sequer o filho que a companheira traz na barriga e a agrediu. A vítima, natural da cidade de Treze Maio, precisaria então, juntamente com a criança que carregava consigo, de auxílio, seja na forma de um abrigo onde pudesse ficar a salvo do agressor, ou por meio de uma passagem para que pudesse voltar para a casa.

Acontece que o secretário de Assistência Social, Juliano Nildo de Maria, um cidadão que quando fora presidente da Câmara de Vereadores foi denunciado por suposta corrupção no exercício da função, recusou-se a atender ao apelo do policial que atendeu mãe e filha, não dando abrigo, sequer transporte para as vítimas da agressão.

De forma correta, o policial, responsável pelo plantão de domingo, registrou outro boletim, desta vez por omissão de socorro, e contra a Prefeitura de Navegantes e o secretário Juliano de Maria, o qual pode vir a ser candidato a vereador em 2020, então é bom a população conhecer bem este cidadão, antes de encontrá-lo nas urnas.

Resta esperar agora para ver qual será a reação do prefeito Emílio Vieira, do PSDB, mesmo partido ao qual pertence Juliano. A dúvida consiste se o prefeito irá mandar embora o omisso secretário, ou premiará toda sua incompetência com sua manutenção no cargo, donde recebe um salário de marajá

O policial, por sua vez, cujo salário não chega nem perto dos mais de dez mil recebidos por Juliano, acolheu as vítimas, providenciou alimentação para mãe e filha e as abrigou na delegacia

DEIXE UMA RESPOSTA