Em uma grande operação policial, a Polícia Militar prendeu na terça-feira (19) três homens envolvidos no planejamento de assalto a um carro-forte, realizado no Aeroporto Quero-Quero, em Blumenau, na quinta-feira (14). Uma das prisões ocorreu em Navegantes e as outras duas em Gaspar, enquanto quatro veículos foram apreendidos. Os criminosos fazem parte da quadrilha que levou cerca de R$ 9,8 milhões de dois carros-fortes, mataram uma mulher de 22 anos, vítima de disparos, e deixaram dois vigilantes feridos.

A prisão em Navegantes foi feita próxima a Igreja de São Domingos de Gusmão. Segundo informações dadas pelo subcomandante geral da Polícia Militar de Santa Catarina, o coronel Cláudio Roberto Koglin, Tiago Cristiano Juste, de 33 anos, de Itaquaquecetuba (SP), estava dirigindo uma ambulância falsa do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), sem o adesivo “192” e com placas clonadas de São Paulo.

Os policiais observavam um galpão no Morro do Baú, em Ilhota, onde estavam os bandidos que foram presos. Quando notaram a presença dos agentes, dois deles fugiram em um Chevrolet Prisma branco, em direção à Gaspar, e um deles foi em direção à Navegantes. Houve troca de tiros. A ambulância acabou parando no bairro São Domingos, onde o motorista tentou fugir, mas foi pego pelos policiais.

Os residentes da proximidade tiveram que evacuar o local, pois o veículo continha cerca de 20 kg em explosivos.

Perigo

De acordo com o capitão CristoferTiemann, atual comandante do grupo COBRA –Batalhão de Operações Especiais (Bope), o material era bastante sensível e com grande poder de destruição. Os explosivos foram detonados, seguindo o protocolo de segurança, para salvaguarda dos civis e demais policiais. Foram também encontrados coletes balísticos e munição do tipo .50 e 762.

Prisão em Gaspar

Os outros dois suspeitos abandonaram o Prisma e continuaram a fuga em um táxi, de Balneário Camboriú, porém foram interceptados em Gaspar. Paulo Sérgio Fonseca Ignácio, 31, de Campinas (SP), Juliano Mocelin da Luz, 37, de Campo Mourão (PR), conduziram os policiais aos locais onde estavam hospedados. Num apartamento em Balneário Camboriú, nada de relevante foi apreendido. Já num quarto de hotel em Itajaí, foram encontrados R$ 18 mil em notas de R$ 20.

Planejamento

Ressalta-se que os três não estavam presentes na hora do crime, mas teriam ajudado a planejar a ação e a monitorar policiais.

Investigações

Pelo menos outras 10 pessoas estão sob a mira da investigação policial em Itajaí, Balneário Camboriú e Navegantes. Na opinião do subcomandante geral da PMSC, os criminosos conheciam bem a região e, devido à complexidade do crime e a soma envolvida, eles se prepararam por pelo menos seis meses para o assalto.

Polícia Federal

Na quarta-feira (20), ocorreu a audiência de custódia e a Justiça determinou a prisão preventiva dos três. Segundo Egídio Ferrari, delegado regional de Blumenau, a investigação deve ficar sob responsabilidade da Polícia Federal, em Itajaí.

DEIXE UMA RESPOSTA