Na segunda-feira (07), uma ação conjunta entre a Receita Federal e a Polícia Federal apreendeu 944 quilos de cocaína no Porto de Navegantes. Esta é a quarta grande apreensão no terminal portuário da droga em 2016, que resultou na retenção de mais de três toneladas da substância ilícita.

Assim como nas ocasiões antecessoras a esta, o destino também era a Europa. Desta vez, a droga iria para a Bélgica. Ao todo, foram 850 tabletes encontrados dentro de sacolas de viagem, totalizando 944 quilos de cocaína. Segundo o delegado da Polícia Federal de Itajaí, Pedro Mendonça, os responsáveis pela mercadoria não devem pertencer à mesma organização criminosa das ocorrências anteriores. “Os outros se preocuparam em fazer um disfarce. Botaram no meio de pedras, de bobina de aço. Esse pessoal não. Colocaram dentro de umas sacolas e colocaram dentro do contêiner”, disse o delegado.

A ação, segundo informa um comunicado da Alfândega da Receita Federal do Porto de Itajaí, foi motivada pelo aumento das apreensões de drogas em contêineres brasileiros destinados à Europa em certos tipos de cargas.

Motivação

O principal motivo que estaria motivando os contrabandistas a usarem mais o porto navegantino seria o fato de o Porto de Santos estar fazendo escaneamento em todas as mercadorias de exportação, dificultando a vida dos contraventores. A escolha também se dá porque os mesmos navios que operam em Santos, operam nos portos de Santa Catarina. Mendonça acredita que mais apreensões têm ocorrido por conta das ações em conjunto entre a PF e a RF, que antes não aconteciam.

Inteligência

Para chegar à droga, foi feito um trabalho de inteligência primeiramente. Foi realizado o exame documental, que separa os possíveis alvos. Neste caso, 25 contêineres foram enquadrados como suspeitos, sendo 11 escaneados e depois averiguados por cão farejador. Ao todo, dois contêineres continham entorpecentes.

A estimativa, a partir de cálculo utilizado pelo Sindicato Nacional dos Analistas Tributários da Receita Federal do Brasil (Sindireceita), é que a carga apreendida deva valer em torno de R$ 138 milhões.

Histórico

Em outubro, o Porto de Navegantes registrou duas apreensões. No dia 17, a Equipe de Análise de Risco da Alfândega da Receita Federal do Porto de Itajaí apreendeu mais de uma tonelada de cocaína pura (1.069 kg de pasta-base) dentro de caixas de lata de abacaxi em calda. A substância ilícita estava escondida dentro de 12 contêineres e tinha como destino a Espanha. Esta foi a maior apreensão da droga já registrada no estado.

308 quilos

Uma semana antes, no dia 11, a Alfândega apreendeu 308 quilos de cocaína dentro de bobinas de aço. A carga de entorpecentes tinha como destino o porto de Livorno, na região da Toscana, na Itália.

811 quilos

A primeira apreensão do ano ocorreu no dia 06 de maio, quando foram apreendidos 811 quilos de cocaína, divididos em 751 tabletes de pasta-base, dentro de uma carga com oito blocos de granito, dos quais três possuíam fundo falso, onde foram encontradas as substâncias ilícitas. A exportação tinha como destino a Espanha.

Duro golpe

As quatro apreensões representam um duro golpe para a finança dos traficantes de drogas, uma vez que ao todo, de acordo com os cálculos utilizados pelo Sindireceita, o valor de toda a droga localizada atinge o montante de quase R$ 500 milhões.

 

DEIXE UMA RESPOSTA