Um boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde nesta semana aponta que 77 pessoas morreram este ano no país após contraírem a dengue. Pelo menos outros 181 óbitos estão sendo investigados pela pasta como suspeitos.

Ao todo, foram confirmados no Brasil 148 casos de dengue grave e 1.736 casos da doença com sinais de alarme. No mesmo período de 2017, foram confirmados 208 casos de dengue grave e 2.245 casos com sinais de alarme, além de 115 óbitos pela doença.

Em Navegantes, não houve registro neste ano de casos da doença, mesmo assim, a Secretaria de Saúde, por meio da Vigilância Ambiental, ampliou no mês de junho o número de armadilhas para identificar as larvas do Aedes Aegypti, o mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela.

O coordenador da Vigilância Ambiental, Eduardo Leal, explicou que o município tem, no total, 245 armadilhas espalhadas por todos os bairros. Essas armadilhas são acompanhadas uma vez por semana, para monitorar se há focos do mosquito na redondeza.

Diminuiu no Centro

Conforme o coordenador, o bairro Centro era a área de maior atenção, mas com o trabalho constante da equipe, como orientação, colocação de larvicidas nas caixas d’águas das residências e disponibilização de telas, o número de larvas do mosquito nos locais monitorados diminuiu significativamente.

Orientação

Eduardo frisa que mesmo no mês de temperaturas mais baixas, os cuidados devem ser mantidos, no intuito de não permitir a proliferação do transmissor. “Orientamos a população a não descuidar do combate ao mosquito no período de inverno, onde o surto de dengue não é comum. No entanto, a fêmea do mosquito deposita os ovos e eles podem ficar até 18 meses viáveis, para depois eclodirem em contato com a água. Os ovos se tornam larvas e depois insetos. Se a fêmea do mosquito já estiver infectada pelo vírus da dengue, zika, chikungunya ou febre amarela, as larvas podem nascer com o vírus”, ressaltou o coordenador.

Sintomas

É importante que a pessoa procure um médico, caso perceba os sintomas da dengue. São eles, febre alta, erupções cutâneas e dores musculares e articulares. Em casos graves, há hemorragia intensa e choque hemorrágico (quando uma pessoa perde mais de 20% do sangue ou fluido corporal), o que pode ser fatal.

DEIXE UMA RESPOSTA