A Secretaria de Segurança Pública e um de seus braços, a Navetran – esta responsável pelo trânsito na cidade –, vinham recebendo críticas e pedidos da população no que concerne a fiscalização de caminhões contêineres, desde os locais de circulação quanto de estacionamento deles. Com melhor estruturação e planejamento, o órgão público, em especial no último mês, vem evoluindo em suas ações, numa resposta às exigências dos munícipes, tendo no primeiro trimestre do ano um desempenho muito superior ao mesmo período de 2017 no número de autuações.

Ainda que os dados oficiais saiam somente na próxima semana, o secretário Johnny Coelho adiantou os resultados extraoficialmente. De acordo com o responsável pela Navetran, foram registradas no primeiro trimestre deste ano 21 autuações gerais por parte dos agentes de trânsito e cinco guinchamentos de caminhões contêineres. Isto ainda sem contar com números da Polícia Militar, que pode ou não aumentar o número final, já que os policiais não costumam trabalhar pesadamente no seguimento de caminhões contêineres. Segundo Johnny, no mesmo período do ano passado não foi registrado nenhuma autuação e nenhum guinchamento.

Pente fino

Circulam por Navegantes cerca de dois mil caminhões por mês. Para tentar dar conta desse grande volume, a Navetran pretende fazer operações de pente fino com mais frequência, como a que ocorreu na terça-feira (03). Com cinco agentes atuando entre 8h e 11h30, foram abordados mais de 200 caminhões para checagem de documentos e estado do veículo, resultando em 12 autuações diversas e o recolhimento de um caminhão contêiner.

Poucos agentes

“Reforçamos mais agora. Tivemos uma dificuldade, com poucos agentes de trânsito. Vamos fazer operação uma vez por semana, com barreiras mesmo, para fazer pente fino. Até conseguir fiscalizar todos [os dois mil caminhões que circulam em Navegantes ao mês] levaríamos um tempo muito grande”, comentou Johnny, justificando a necessidade de operações periódicas.

Cargas perigosas

Segundo o secretário, a intenção não é fazer com que o número de autuações aumente, mas sim que os caminhoneiros se sujeitem às normas. “A população clama por isso, vamos pra cima e não vamos recuar”, declarou. O próximo passo da Navetran será passar a fiscalizar os veículos que transportam produtos perigosos, como químicos e corrosivos, desde a documentação até os procedimentos de segurança e estado dos transportes.

DEIXE UMA RESPOSTA