Não é incomum se ouvir em entrega de ruas calçadas em Navegantes. Porém, isto não significa que todo mundo no município está sendo assistido da forma correta. Mesmo em bairros mais populosos, como a Meia Praia, ainda há ruas de chão batido, o que acaba causando problemas para os moradores. Uma das vias localizadas no bairro citado e que dá uma dor de cabeça tremenda naqueles que residem nela é a rua João Baldança Filho – e os munícipes não estão nada felizes com o modo em que a via tem sido tratada pelo Poder Público.

Dono de uma residência há 17 anos naquela rua, um dos moradores da localidade diz que aproximadamente um ano e meio atrás solicitou à prefeitura que fizessem alguma coisa em relação à via. O motivo? Ela é toda de chão batido. Segundo o munícipe, quando chove formam-se várias crateras na rua, que vão se enchendo de água e, dependendo da força da chuva, acaba ficando impossibilitado até mesmo de sair de casa. O morador reclama que desde o pedido, já voltou a entrar em contato com a administração municipal em outras oportunidades para cobrar, porém não deram nenhuma satisfação de, se e quando, fariam alguma coisa para melhorar a situação do local.

IPTU não retorna

“Acaba pagando o IPTU e tudo mais, não tendo retorno nenhum”, reclamou o morador, que trabalha como representante comercial. Segundo ele, é um descaso, já que as ruas próximas à sua são calçadas. Ele também cita que a rua é perto de uma loja de material de construção, o que faz com que vários caminhões passem pelo logradouro para dar a volta na quadra, e o tráfego contribui para a piora do solo.

Secretaria de Obras

Em busca de soluções, a reportagem do O Navegantes foi atrás da Secretaria de Obras. O novo secretário-adjunto da pasta, Paulo Roberto Pereira, disse num primeiro momento não saber se a rua estava dentro de algum projeto de pavimentação, porém após conferência, ele encontrou a solicitação de calçamento da rua. Segundo ele, há um projeto de calçá-la junto com outras vias, num dos pacotes de pedidos para liberação de verba do Governo Federal.

Sem prazo previsto

Justamente por esperar pelo convênio de Brasília é que não há como precisar quando a receita virá para aplicação das obras. Ele espera que o município consiga o recurso antes de abril, caso contrário somente após as eleições de outubro, seguindo as normas da legislação eleitoral.

Prometeu melhorias

Ainda que não haja uma previsão para calçamento, o secretário-adjunto admite que a situação da rua em questão é complicada e se comprometeu, a partir de segunda-feira (05), em fazer alguns reparos nela para dar uma melhorada na vida das pessoas daquela localidade. “[Vou] passar uma patrola, colocar um material para que não faça tanta lama e poeira”, garantiu.

DEIXE UMA RESPOSTA