O vereador Murilo Cordeiro (PT) poderá pedir a cassação do mandato de José dos Santos (PSD), o Zé do Bairro São Paulo, por quebra de decoro parlamentar. Isto porque o peessedista fez um ofício em nome da Câmara, algo que somente o presidente tem a prerrogativa.

O ofício, confeccionado por Zé utilizando o nome de todos os vereadores, pedia para que fiscais da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fuman) fossem até a Recinave (cooperativa de catadores de materiais recicláveis) para fazer uma fiscalização in loco, o que veio a acontecer, coincidentemente ou não, minutos depois da chegada dos vereadores ao local. Os edis estavam lá porque o mesmo Zé os convidou para visitar a cooperativa na sexta-feira passada (10). Murilo Cordeiro (PT), um dos presentes, foi surpreendido e classificou a situação como uma “ação premeditada”, “uma emboscada”, além de ser uma injustiça com os catadores.

Durante a sessão de segunda-feira (13) da Câmara, Murilo ressaltou que nenhum vereador fora avisado de que a visita teria o intuito de fiscalizar a cooperativa, fato confirmado por todos, e esperava que a visita, agendada por Zé, fosse uma espécie de força-tarefa com o intuito de ajudar aos catadores, que passam necessidade e agora estão impossibilitados de trabalhar.

Foi embargada

A Recinave acabou sendo embargada naquele dia, pois o terreno onde fica, no bairro São Paulo, possui irregularidade no âmbito ambiental. Em janeiro, o Ministério Público requisitou à Fuman que visitasse o local com o propósito de fazer um levantamento minucioso da situação do terreno, conforme citou o vereador Valmir César Francisco (PSDB), o Chero, que refutou a ideia de “emboscada” e disse que foi apenas uma coincidência a presença da Fuman no mesmo dia da visita dos edis, algo desmentido pelo ofício de Zé.

Desde 2001

O drama existe há tempos e havia esforço por parte de Murilo e outros vereadores de procurar a regularização do terreno para que os cooperados não perdessem seu emprego. O terreno atualmente está em posse da prefeitura, porém, de acordo com Murilo, nunca houve esforço por parte do Executivo em regularizar a área. A Recinave está no mesmo lugar desde 2001, quando foi feito um convênio entre a prefeitura com a Casan para a criação dela, ainda durante a gestão de Adherbal Ramos Cabral (PMDB), o Deba. De lá pra cá, o terreno está irregular e nada foi feito.

Requerimento

Durante a sessão, foi apresentado um requerimento, subscrito por todos os vereadores, pedindo que o Executivo colabore na liberação da licença ambiental para a Recinave.

Vai protocolar

Diante da situação, Murilo decidiu que irá protocolar um pedido de cassação do vereador Zé. Após entrar com a documentação, uma comissão deve ser formada na Câmara para analisar o requerimento.

Procurado pelo O Navegantes, o vereador Zé informou, por meio de sua assessoria, que não irá se pronunciar sobre nenhum detalhe da situação abordada nesta matéria.

DEIXE UMA RESPOSTA