Prestes a completar nove décadas de vida, Dona Nica mostra grande entusiasmo em viver. Ela acredita que as coisas boas da vida vêm se você acredita em Deus e mantém a família unida. Uma coisa está atrelada a outra, de acordo com a senhorinha natural de Navegantes. A longevidade é marcada por fé, uma origem pobre, e muitos sucessores: contando filhos, netos e bisnetos, ela tem atualmente um legado de 72 descendentes diretos.

Ana de Souza Lourenço, mais conhecida pelo apelido de Dona Nica, completa 90 anos no próximo sábado (15). Ela nasceu em Navegantes e mora no mesmo endereço desde seu nascimento, em uma rua no bairro Machados. As décadas foram exigindo mudanças. Ao longo dos anos, no local foram erguidas duas casas de madeira, até a terceira e definitiva residência, hoje feita de alvenaria, ser edificada. Foi naquele logradouro que criou 11 filhos – sendo oito homens e três mulheres. Um deles, no entanto, acabou vindo a falecer. Batalhou e proveu para os filhos ao lado de Pedro, com quem passou 43 anos casada, até que ele morreu após uma cirurgia, em decorrência de um câncer no estômago. São 23 anos sem o esposo, mas as memórias dele continuam viva para Dona Nica e familiares.

Muito trabalho

Para dar o sustento aos filhos, o casal trabalhava incansavelmente – Dona Nica exercia atividades braçais na roça. Não ganhava muito pelo serviço, como era de se esperar. Ao longo da vida passaram por muitas dificuldades, entretanto, para ela, criar a família foi fácil.

Zelou pela educação

“Era um tempo muito pobre. A gente deu muita educação. Criamos com dificuldade, mas deu certo. Quando criamos com amor, mesmo com dificuldade, tudo é bom”, comentou Ana. Para ela, “se há amor e paz, tudo fica mais fácil”.

Contou o segredo

Segundo Dona Nica, um dos segredos de sua longevidade era a alimentação mais saudável que se tinha antigamente. “Torrava o café, arroz era tudo de casa, aquelas coisas naturais. Hoje em dia é tudo cheio de química. Tudo era da roça. A gente colhia mandioca e fazia farinha no engenho da minha cunhada ali. Fazia também o próprio sabão. Nada comprado, bem pouco”, descreveu.

Exercício da fé

Outro fator para ela é seu exercício de fé. Para ela, “se não tiver Deus, a gente não tem nada”. A idosa enxerga bem e realiza leitura diária do livro sagrado, “de óculos ou sem óculos”. “Quando perco o sono, já vou ler. Leio bastante a bíblia, falo bastante da palavra de Deus”, completou. Coincidência ou não, seu aniversário de 90 anos será celebrado no salão paroquial da igreja do bairro.

Netos e bisnetos

Além da dezena de filhos, Dona Nica coleciona também 33 netos e 29 bisnetos. A família, para ela, é uma “benção”. Uma vida bem vivida até aqui, ao que tudo indica. “Tive uma vida muito maravilhosa, não posso reclamar. Só tenho a agradecer a Deus”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA