Retrocesso

Esta semana os vereadores Valmir Cesar Francisco (PSDB) de alcunha Chero, Sebastião Alves da Silva (PSDB), vulgo Meio Kilo, e José dos Santos (PSD), popular Zé do Bairro São Paulo, tiveram a indecente ideia de apresentar proposição para a mesa diretora da Câmara de Vereadores, propondo a exclusão no Código de Proteção Animal, do texto que trata da proibição do trânsito de veículos com tração animal na área urbana de Navegantes. Na justificativa para o ato, os enlouquecidos e desvairados parlamentares alegaram que agiam em benefício das famílias de recicladores e catadores de recicláveis.

Papo para boi dormir

Acontece que o Zé do Bairro São Paulo, na última sexta-feira (10), patrocinou a maior patacoada da atual legislatura, ao solicitar à Fuman o fechamento da Recinave, associação que atua como uma espécie de cooperativa, reunindo exatamente recicladores e catadores de recicláveis. Ou seja, para o Zé, ao que tudo indica, as preocupações podem ser seletivas. Para a associação que reúne alguns desafetos políticos, os rigores da lei, para os catadores que maltratam animais e abusam de cavalos, as benesses da lei. Os próprios vereadores viram que estavam fazendo uma grande besteira e retiraram a proposição, porém, fica a preocupação de que poderão voltar com esta ignóbil e preocupante ideia, de retroagir nas poucas conquistas em benefício da causa animal.

Sem compromisso

Verdade seja dita, Chero e Meio Kilo, desde que assumiram o mandato, só fazem patrocinar sandices e batidas inúteis de cabeça. A dupla começou o ano tentando aplicar um golpe no vereador mais votado da história de Navegantes, Samuel Vianei Paganelli (PSDB), que deveria, por direito, ser o primeiro presidente da mesa diretora. Houve traição forte no ninho e, mesmo ajudados pelos votos do doutor, os dois resolveram passar-lhe a mais baixa e vil rasteira, quando Valmir Cesar bateu chapa com seu correligionário e perdeu. Agora Meio Kilo e Chero demonstram não estar preocupados com seus eleitores. Depois de traírem o colega de partido, irão trair aqueles que sufragaram votos neles, largando o mandato para ocuparem cargos no primeiro escalão do governo de Emílio Vieira (PSDB).

Querem mamar na teta

Chero e Meio Kilo bateram na porta do eleitorado no ano passado, prometendo representar a população na Câmara. Agora, o primeiro deverá assumir a Secretaria de Saneamento (Sesan) e o outro vai para Obras. O cidadão para ser secretário não precisa do voto popular, basta babar o ovo do prefeito. Ambos são traidores do povo, pois tiraram lugar de pessoas que certamente iriam brigar pelos interesses dos navegantinos, diferente destes que almejam apenas cargo no primeiro escalão do governo municipal, provavelmente por conta dos cofres públicos espirrarem dinheiro, diferente da atividade parlamentar. Espero que a população lembre-se disto em 2020, não reconduzindo ao Legislativo estas criaturas que querem apenas uma teta fresca para se achegar.

Boneco ventríloquo

Decididamente o prefeito Emílio está, com a prática, rasgando o seu discurso ao assumir o paço, quando disse que faria um governo com pessoas honestas e qualificadas. As últimas notícias de prováveis nomeações corroboram tal exclamação. Tem condenado por desvio de dinheiro público, pessoa sem a menor qualificação para posto chave, enfim, parece que há alguém por trás, comandando os atos do alcaide, pois não é possível que tenha mudado de ideia de maneira tão radical em tão pouco tempo. Muitas pessoas com quem falo estão arrependidas pelo voto de confiança dado ao capilarmente desfavorecido chefe do executivo, grupo ao qual me incluo. Para quem disse que não sofreria interferências no comando da cidade, pelo jeito o fez apenas da boca para fora.

Falcatruas das bravas

Recebi esta semana alguns documentos de certa empreiteira que realizou diversos negócios em Navegantes, durante o governo de Roberto Carlos de Souza. Eu tinha a informação de alguns contratos contaminados por corrupção e na primeira hora de análise dos papeis já consegui comprovar ilícitos, os quais serão denunciados ao Ministério Público de Estado de Santa Catarina. O dono da dita empresa, que deu a reforma de uma casa de presente para um alto escalão do governo de Emílio Vieira, no intuito de apagar os rastros de desvios de verbas públicas, parece ter jogado este dinheiro no lixo, pois como já relatei anteriormente, não há como apagar o físico e a medição de algumas obras descortina a farsa montada no departamento de compras do paço municipal.

Vereador na berlinda

Um hoje vereador de primeiro mandato, assinou diversos documentos, liberando pagamentos relativos ao calçamento de ruas, sem que houvesse sido feita a devida medição, isto em pleno ano eleitoral, quando Bob buscara a reeleição. Vou trabalhar na documentação durante todo o fim de semana, mas confesso que precisarei de estômago forte, pois o cheiro de corrupção chega a causar náuseas. Agora fica fácil entender por que os gados de certo ex-secretário de Obras estão tão gordos, pelo simples fato de comerem tijolos, lajotas, concreto para laje, entre outras guloseimas nada convencionais. Rogo com todas as forças que este lamaçal não atinja pessoas pelas quais nutro muito carinho, mas nunca conseguirei dormir tranquilo sabendo que cidadãos estão impunes depois de roubarem os navegantinos.

Charge

DEIXE UMA RESPOSTA