Por Renato Sandrini – Jornalista 44.852/SC – Editoria: Opinião

 

Ele voltou

Desde ontem, quinta-feira (28), o prefeito Emílio Vieira (PSDB) reassumiu o comando do paço municipal, após longo período de afastamento, como todos sabem, por questões de saúde. A notícia é extremamente positiva, pois há casos e ocasiões em que ter dois é o mesmo que não ter nenhum e com prefeitos é assim. Emílio e Donizete José da Silva (PSB) estavam batendo cabeça e isto não vinha ajudando na condução do município. Resta tirar o chapéu para o vice Donizete, que se comportou de forma irretocável durante a vacância do titular.

Esperança

Resta saber se Emílio irá promover alguma mudança, ou deixará tudo como está. Mesmo as cabeças mais pensantes do paço parecem ainda não terem se dado conta de que há um complô dentro do próprio governo, para que as coisas não caminhem a contento da população. Uma turma do quanto pior melhor, está alojada nos primeiro e segundo escalões da administração, fazendo com que a cidade cresça tal qual rabo de cavalo, para baixo. O município definitivamente está caminhando para trás e perdendo um tempo que infelizmente não voltará mais.

Exemplo

Uma atenção exclusiva deveria ser dada para um cargo comissionado em especial, o ex-prefeito Roberto Carlos de Souza, que tem interesse direto e intrínseco na derrocada do governo atual. Quanto mais fracos estiverem Emílio e Donizete no decorrer dos próximos anos, mais o povo verá Bob como o salvador da pátria em 2020, garantindo assim seu retorno ao comando do município, se não estiver preso. Tem gente apostando nisto e antecipando as eleições, as quais deveriam, neste momento, estar fora da pauta.

Camarilha

Há uma corja alojada no governo municipal em cargos comissionados. Gente já condenada por desvio de dinheiro público, ou pessoas em vias de serem condenadas. O próprio Emílio citou nominalmente alguns deles para interlocutores próximos, antes de assumir, dizendo que não os reconduziria à administração, mas acabou, sabe-se lá porque, mudando de ideia. Tenho a mais absoluta certeza que o momento desfavorável vivido por Navegantes não é fruto apenas da recessão econômica, mas sim da atuação da banda podre no seio do paço municipal.

Sempre ela

Quem mais puxa a administração para trás é a primeira dama da cornualha, aquela que foi sem nunca ter sido. É a editora oculta do Canhanduba News, jornal cujo dono está preso por assalto a mão armada, que só faz falar mal do governo, mesmo sendo produzido de dentro de uma secretaria municipal. A mulher, da surdina, agindo como bandido, no mais obscuro anonimato, instiga a população contra o paço de formas variadas. Resta saber se a cúpula do governo não vê isto, ou se por terem o rabo preso com o ex-marido da víbora, acabam de mão atadas, restando apenas assistir ao dantesco show por ela promovido.

Não entendi

Na segunda-feira (25), durante sessão ordinária da Câmara de Vereadores, vários vetos do então prefeito em exercício, Donizete, foram derrubados. Um em especial chamou atenção, pois se tratava de proposição para colocação de nome em determinada rua. O alcaide interino vetara, avocando ilegalidade, dizendo que tal medida traria custos para a administração, o que não pode ser feito por meio de atuação parlamentar. Acontece que Donizete era vereador até pouco tempo e colocou nome em diversas ruas, então resta saber é o que mudou de lá para cá, para agora ser ilegal.

É para rir?

O que chamou a atenção no referido veto, é que a proposição partira de ninguém menos do que o vereador Paulo Ney Laurentino (PSDB), líder do governo. A derrubada se deu por nove votos a zero, ninguém apoiou a medida, para mim injustificável. Há um clima beligerante entre Executivo e Legislativo e tem gente tentando apagar fogo com gasolina. Não preciso repetir aqui todo o carinho e admiração que tenho pelo Donizete, mas penso que ele deu uma grande bola fora. Em sua defesa, resta lembrar que alguém o orientou e mal. Quem o fez é integrante, porta voz da banda podre, só poderia ser.

Deu ruim

Outra bola fora que só fez acirrar os ânimos entre a Câmara e a Prefeitura foi um Mandado de Segurança impetrado pelos advogados do prefeito Emílio, e negado pela juíza, tentado impedir a continuação dos trabalhos da CPI que investiga supostas contratações ilegais durante o Carnaval 2017. Os vereadores recuaram dos trabalhos, em função da doença do alcaide e sentiram-se traídos com a medida judicial. Prefeitos precisam mais de vereadores do que o contrário, mas aqui o Executivo ainda não se deu conta disto. Esta briga não interessa a ninguém, só quem perde é o povo, não haverá ganhadores.

Ouça pela manhã

Quero lembrar aos leitores da coluna que além deste espaço opinativo, este obeso e néscio caça letras também participa todas as manhãs, de segunda a sexta-feira, do programa Cidade Notícias, no 91,7 do dial de seu rádio, pela Cidade FM. A programação é comandada pelo impagável comunicador Evandro Argenton e conta com o primoroso apoio técnico e jornalístico da querida Juliana Montoya. Muita informação de qualidade, já nas primeiras horas da manhã, sendo que o programa vai ao ar das 7h às 8h. Vale a pena conferir, pois é feito  para quem aprecia um jornalismo sério e independente.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorColuna Pedra no Sapato
Próximo artigoColuna Pedra no Sapato

DEIXE UMA RESPOSTA