Grupo forte

Alguns empresários ligados a diversificados segmentos econômicos, pelo visto descontentes com os rumos da política local, teriam se reunido esta semana – o que já ocorrera em diversas outras ocasiões, desta vez para definir algumas ações rumo às eleições de 2020. Passarinho da voz fina e bigode grosso, contou que no suposto encontro teria havido uma votação para seleção dos nomes que poderão candidatar-se a prefeito e os escolhidos foram Libardoni Fronza e Rinaldo Araújo, dois expoentes dentre o empresariado dengo-dengo. Rinaldo dispensa apresentação e Liba é um dos mais sérios, honestos, simpáticos, cativantes e cordiais cidadãos que tive o prazer de conhecer em minha longa e nada fácil vida.

Esticaram a piada

A Comissão Especial de Inquérito da Câmara Municipal, que investiga irregularidades cometidas na contratação e confecção do plano diretor, foi prorrogada por três meses. Parlamentares pediram mais tempo, provavelmente para assar melhor a pizza que estão preparando. O sabor já é conhecido, será o de impunidade. Tem vereador abraçado aos corruptos que participaram da fraude, pois possuem interesses em comum na sucessão de prefeito ano que vem. Tem outros detentores de laços com os corruptores – empresários mafiosos da construção civil e donos de terminais de contêineres que cooptaram agentes políticos na fraude. Os mandantes do crime são possíveis financiadores ilegais de campanha, porém, poderão ser úteis à maioria dos vereadores nas eleições de 2020.

Ainda há esperança

A única chance de o cidadão navegantino saber o que realmente aconteceu na contratação ilegal do plano diretor será pelas investigações do Ministério Público, porque esperar pela Câmara, por óbvio não dará em nada. O que eu não entendo são os motivos para não encerrar esta palhaçada de uma vez. A quem interessa a prorrogação? Talvez estejam apenas querendo aumentar a pedida, fazer com que os empresários majorem o valor que talvez tenham prometido para que não se mexa em nada, que se deixe esta sujeira na obscuridade. Sem trazer nomes à tona, as famosas duas letrinhas de uma construtora, três de outras e por aí vai. Sem investigar sequer a rua que fora doada para a empresa apaixonada por ilhas, e que de tão bondosa, deu um apartamento em cada prédio que construiu para um ex-prefeito corrupto.

Pauta próxima semana

Recebi a relação dos amigos do rei dentro da prefeitura. Servidores efetivos que assumiram cargos comissionados e passaram a receber a vergonhosa, extorsiva, imoral, irresponsável e nojenta Vantagem Pessoal Nominalmente Identificável (VPNI), criação do ex-prefeito Roberto Carlos de Souza que tem potencial para quebrar os cofres públicos no futuro, além de impactar significativamente a folha de pagamento do funcionalismo. Não por coincidência, a ex-esposa de Bob é beneficiária de milhares de reais, tudo na conta do maior imbecil que existe em Navegantes, o contribuinte, o incauto cidadão pagador de impostos, que trabalha ao invés de babar ovos de políticos para receber benefícios pecuniários ad aeternum.

Reações diversas

A denúncia veiculada em primeira mão aqui por O Navegantes, dando conta de a farra das diárias ter se transformado em processo, tornando réus todos os vereadores que passaram pela Câmara Municipal na legislatura 2009/2012, fato do qual este jornalista fora denunciante, tomou conta das conversas na cidade desde a última sexta-feira (01). Na maioria, os processados se limitaram a dizer estarem tranquilos, que irão provar a inocência e coisa e tal. Até acredito que uns dois ou três irão se livrar do processo sem maiores consequências. Vale repetir o que fora publicado na edição anterior, todos são inocentes até prova em contrário, mas elementos probatórios já enriqueceram a denúncia apresentada pelo MP.

Como é que é?

Episódio lamentável nesta celeuma partiu do vereador Waldelir Guarezzi (PSDB), o Badeco. Ele publicou uma nota oficial, onde acusa o jornal de ser tendencioso, sendo que o periódico se limitou a narrar um fato. Oras, é muita falta de vergonha na cara, o cidadão ser denunciado pelo Ministério Público por farra em diárias e acabar criticando quem divulga. O promotor encontrou inconsistências em sua prestação de contas, a juíza concordou com a avaliação do promotor e abriu processo, daí o cidadão, espécie carimbada da velha política dengo-dengo, acusa o veículo de comunicação de ser tendencioso? Como diria um grande advogado e amigo, é muita falta de desrespeito.

No mínimo, conivente

Até então tive bastante consideração por Badeco, mas agora se mostrou um demagogo, ao invés de explicar – pois no texto ele não disse para onde foi, o que fez com o dinheiro, não apresentou uma nota apenas – limitou-se a acusar quem trouxe a notícia. A cara de pau de certos políticos é mesmo inacreditável. E digo mais, ele até pode não estar envolvido na farra das diárias, mas inegavelmente sabia do esquema, todos sabiam que havia uma prática recorrente de vereadores acumularem aos salários, diárias fraudadas. Se ele não participava da quadrilha, conhecia de sua existência. Eu, que pouco frequentava a Câmara, não só sabia, como fui ao Ministério Público denunciar, então posso crer que todos conheciam o esquema. Teve quem se beneficiou e quem silenciou, ou seja, não tem santo nesta história.

<>SOBE<>

Jassan Ramos (MDB) falou com palavras simples, mas inteligência, que os vereadores devem esquecer a política para brigar pelos interesses de Navegantes

<>DESCE<>

Há políticos utilizando projeto capaz de dar nova cara para a cidade e resolver problemas de mobilidade, como instrumento de vingança contra o prefeito

DEIXE UMA RESPOSTA