Opinião do leitor

A coluna da semana passada repercutiu de forma espetacular, recebendo inúmeras mensagens, não posso falar de todas, então selecionei uma e recortei parte do texto para publicar, respeitando o sigilo da fonte. O sentimento deste cidadão, alguém que muito admiro, revela o quadro geral do que foi demonstrado. “a cacaiada atual da Prefeitura de Navegantes, só pensa em si…ninguém aguenta mais um município como o nosso ser governado pelos mesmos, os mesmos que pensam somente em si, que nada fazem para mudar e melhorar nossa cidade…Chega de falar bonito com quem faz feio, com quem não tem interesse público para a coletividade, vamos lutar para mudar”.

Passa a régua

Um secretário também me abordou sobre o conteúdo da edição e disse que as acusações são graves, que eu estaria desrespeitando Emílio Vieira (PSDB), o que discordo, valendo frisar nunca ter sido esta minha intenção. O capilarmente desfavorecido prefeito dorme com o inimigo, dá comida na boca de quem está lhe puxando o tapete e tramando contra ele pelas costas. Estão assando a batata do alcaide, mas ele próprio é quem fornece a lenha, alimenta o fogo. O cidadão em questão sugeriu uma inimizade entre eu e o chefe do Executivo municipal, outra incoerência, já que Emílio não precisa de inimigos na imprensa, ele já os tem no primeiro escalão do governo. Sou bocudo, não desrespeitoso, e estimo o prefeito.

Cadê o dinheiro?

Profissionais de saúde que prestam serviço para prefeituras fazem jus a um valor enviado pelo governo Federal por meio do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica PMAQ, que tem por objetivo incentivar os gestores e as equipes a melhorar a qualidade dos serviços de saúde oferecidos aos cidadãos. Para isso, propõe um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do trabalho das equipes. Pois em Navegantes este dinheiro não está chegando aos profissionais há um bom tempo e segundo informação que recebi, trata-se de uma herança do ex-secretário de Saúde, Alcídio Reis Pera, vulgo Cidinho.

Tem que reclamar

Ontem, quinta-feira (13), houve uma manifestação na Câmara Municipal e os profissionais de saúde querem saber onde foi parar a grana. Este complemento na remuneração está fazendo falta há muitas famílias e ele tem destino certo, portanto deveria estar na conta dos servidores, regularmente. Espero que os vereadores ouçam o lamurio dos manifestantes e saiam em busca de respostas, descobrindo onde foi parar este recurso. Faça-se uma devassa na Secretaria de Saúde e, se possível, leve preso quem consumiu com a verba, que é pública. Este é mais um exemplo de que ao deixar a raposa cuidando do galinheiro, você favorece o sumiço das aves, naturalmente.

A minha é calabresa

A CPE que investiga o que ocorreu na grande fraude do Plano Diretor de Navegantes, aquele rejeitado na Câmara Municipal por inúmeras irregularidades e obscenidades, pode terminar em pizza. É que alguns vereadores da oposição querem aproveitar o episódio para pedir o impeachment do prefeito Emílio, o que cheira a golpe, já que os fatos são anteriores ao mandato dele. Como ocorreu na comissão parlamentar que investigou irregularidades no Carnaval 2017, se partirem para este caminho irão servir uma bela redonda coberta com muito queijo para a população. É verdade que o alcaide perdeu a maioria na casa das leis, mas mesmo assim não é possível conseguir sete assinaturas para derrubá-lo.

Balaio de gato

A verdade é que a Câmara Municipal está uma salada, ninguém sabe bem quem é oposição ou situação. Jefferson Macarini (PSDB) e Paulinho Meia Praia (PSD) não fazem mais parte da base governista e o presidente da mesa diretora, Alício Jacob Ricobom Filho (PSD) vem montando em um porco quando citam o nome do chefe do Executivo perto dele. A eleição que acontece na segunda-feira (17) deve expor esta ruptura entre Liço e Emílio. Tudo pode acontecer, mas conversei com algumas pessoas que acreditam na eleição de Valmir Cesar Francisco (PSDB), o Chero, porém, se ganhar, será num pau bravo, um empate em cinco votos e o tabagista edil levando, nesta hipótese, pela idade, apesar de ser um pouco cedo para arriscar palpites.

Como está?

Para quem não está muito informado do que deve acontecer na eleição que definirá a nova mesa diretora da Câmara, há duas correntes e hoje está mais ou menos assim. Na oposição, apesar de serem de partidos da base governista, estão Liço Ricobom, Paulinho e Jefferson, além de Murilo Cordeiro (PT). Pela situação, temos Chero, Samuel Paganelli (PSDB), Cirino Adolfo Cabral Neto (MDB) e Sebastião Alves da Silva (PSDB). Então temos dois votos a serem conquistados, de Jassanan Ramos (MDB) que tende a votar com a situação e José do Santos (PSD), cuja opção ainda é incógnita. Aconteça o que acontecer, a decisão será apertada, sendo que a oposição, cogitou-se durante a semana, teria oferecido a presidência ao Zé do Bairro São Paulo, mas mesmo assim não há garantia de vitória, ao menos até o fechamento da coluna.

DEIXE UMA RESPOSTA