Morto e sepultado

Viúvas do ex-prefeito Roberto Carlos de Souza tiveram um motivo a mais para arrancarem os cabelos nesta semana, depois que uma enquete fora publicada em redes sociais, perguntando se as pessoas votariam em Popeye, um pequeno empresário que recebeu mais de 12 mil votos nas eleições de outubro, ou em Bob. No fechamento da coluna, quinta-feira (08), o resultado parcial apontava 81% das intenções para o homônimo do velho marinheiro comedor de espinafre, prova irrefutável que Roberto já era. A herança maldita deixada na prefeitura comprometeu a sua imagem, manchando-lhe o currículo, sujando-lhe a ficha e, ao que tudo indica, minimizando seus incautos defensores e/ou eleitores.

É uma tendência

Resta claro que o rotineiro surgimento de escândalos envolvendo o governo passado, macula a imagem de Bob Carlos, mas fato é que o empresário Popeye aparecer na frente com vantagem tão significativa, apenas confirma propensão do eleitorado em rejeitar a velha política, candidatos que tenham na testa a marca e no bolso a carteirinha. As urnas deixaram evidente tal convergência em 07 de outubro e não deve ser diferente no pleito de 2020. Boa notícia é que a banda podre, certa quadrilha formada entre 2009 e 2016, vai ficar na rua muito em breve. A gangue de corruptos precisará achar outros cofres para saquear, sugiro Brusque.

Ave que come pedra…

Outra mensagem intrínseca à enquete é direcionada a Emílio Vieira (PSDB), que tende ser tragado pela tendência renovadora. Teimando em não realizar as mudanças necessárias na equipe de governo e não envidando esforços suficientes na recomposição da base política, o capilarmente desafortunado prefeito está a deixar seus macios glúteos na reta, ao menos na opinião deste flácido e ignóbil palpiteiro. O alcaide tem dois anos, e isto passa rápido, para mostrar serviço. Além do que, precisará prestar explicações ao Ministério Público, carece desvincular-se da ora conhecida organização criminosa, que atua há anos em Navegantes.

O pai da criança

Reitero confiança em Emílio, penso não ser dado à cobiça do alheio, tratando-se de pessoa com rígida formação ética. Mas político precisa ser e parecer honesto. Uma das palavras que deve nortear as ações de um gestor público é cuidado, com os munícipes e com a cidade. Não resta dúvida haver boa vontade no liso e brilhoso cocuruto do chefe do Executivo municipal, mas o que acontece hoje na administração dengo-dengo é caso de polícia. Verdade é que uma depuração, a extinção da quadrilha ainda atuante na prefeitura será feita. Resta saber quem assumirá o protagonismo do ato, se o prefeito, o promotor ou o juiz. Alea jacta est, do latim, a sorte está lançada, façam as suas apostas.

Igual chuchu na serra

Conversei recentemente com um amigo que saiu com esta frase – “chutei uma pedra dia destes e de baixo dela saíram dezenas de pré-candidatos a prefeito de Navegantes”. A exclamação é pandega, mas de certa forma realista, pois publiquei semana passada alguns nomes e fui bombardeado por mensagens com outros postulantes, pessoas que nunca falaram comigo deram o ar da graça com sugestões mirabolantes. Sequer autoridades eclesiásticas foram poupadas, já que o querido e inestimável frei Flávio, da Paróquia São Domingos de Gusmão, fora lembrado como opção viável para o pleito. A cadeira mais cobiçada do paço municipal será disputada na hóstia ou no tapa, se depender de alguns eleitores.

Eu, sou brasileiro…

Não consigo abandonar minha incontrolável sensação de esperança, ainda que para tanto precise afiançar fé em políticos. Digo isto porque foi oficialmente formada a Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar possíveis práticas delituosas cometidas por servidores durante o trâmite do rejeitado Plano Diretor de Navegantes. Os trabalhos da CPI serão conduzidos pelos vereadores Paulo Rodrigo Melzi (PSD) – presidente, Murilo Cordeiro (PT) – relator, e Jefferson Machado Macarini (PSDB) – membro. Que minha inabalável crença no combate à corrupção não seja colocada a prova neste episódio, com uma grande e intragável pizza servida no plenário da Câmara Municipal.

Não leu o estatuto

Corre a boca miúda pelas rodas de bate papo na cidade, informação não confirmada, de que o vereador Cirino Adolfo Cabral Neto (MDB) teria consultado o Partido Novo, para supostamente filiar a si próprio e a família. Contudo, segundo consta, a propalada inscrição teria sido negada. Se a notícia procede é difícil saber, mas de qualquer forma, se a consulta existiu, com todo o respeito, seria indício de insanidade, já que não há nada de novo em representar uma oligarquia, neste caso, a Cabral.

<>SOBE<>

A CPI que irá desvendar quem foram os agentes públicos a delinquir durante o trâmite do Plano Diretor, pode trazer à tona nomes famosos da política local

<>DESCE<>

O trânsito de carroças no perímetro urbano de Navegantes, proibido por lei, é corriqueiro na cidade, configurando prevaricação por parte das autoridades

DEIXE UMA RESPOSTA