Tem que fiscalizar

Chegou nesta semana ao Ministério Público Eleitoral, uma denúncia grave de que em Navegantes haverá a prática de boca de urna, com compra de votos, no domingo, 07 de outubro, dia das eleições. A informação dá conta de que a ilegalidade será coordenada em dois imóveis, ambos próximos ao principal colégio eleitoral da cidade, a Escola Júlia Miranda, no Centro, sendo um logradouro quase ao lado do comitê do PSDB e outro na rua Anibal Gaya, onde funciona o diretório de um partido político e/ou de candidato.

Sempre ele

O comandante desse ato ilícito, suposto crime eleitoral, seria o irmão de um ex-prefeito e que já fora secretário de Obras, jocosamente conhecido por Quinzinho, uma referência ao percentual da comissão que cobrava dos empreiteiros, por cada obra administrada pela municipalidade em seu tempo. Se os candidatos com domicílio eleitoral em Navegantes quiserem impedir a mercantilização do voto, devem colocar pessoas para fiscalizar os imóveis em frente às duas entradas do colégio, em uma esquina próximo ao diretório tucano e na entrada lateral, que dá acesso à secretaria do educandário.

Não basta confiar

Esperar que as autoridades competentes façam o trabalho sozinhas é inútil, todos os cidadãos, eleitores ou não e, principalmente os postulantes a cargos públicos, precisam estar atentos aos ilícitos e possuem a responsabilidade de denunciar qualquer ilegalidade, ainda mais um crime eleitoral com potencial para mudar o pleito, pois, segundo fontes, será reservado para esta data um montante considerável de recursos, tudo para eleger um deputado estadual e outro federal, ambos de Itajaí.

Por falar nisto

Citando ex-prefeito, circulou em redes sociais um vídeo de um carro de som, com a voz de Roberto Carlos de Souza, o Rei nas planilhas de propinas da Odebrecht – segundo a Lava Jato, convidando para uma reunião, cujo intuito era apresentar dois candidatos de fora. Um advogado que recebeu a postagem garantiu ser esta uma ilegalidade e disse que iria denunciar os candidatos carregados por Bob. Em consulta ao TRE/SC, nos documentos que apontam práticas legais ou ilegais no pleito, consta que o material de campanha precisa trazer o candidato, o que não acontecia no episódio citado. Haverá punição?

Urna não é pinico

Quando o resultado da votação sair no dia 07, será possível descobrir se o eleitor navegantino é adepto do voto de cabresto, se ele aceita se dominar pelos velhos coronéis da política local. Roberto Carlos de Souza é acusado pela Lava Jato de ter recebido propina, pelo Ministério Público de uma série de irregularidades, mesmo assim se acha o maior cabo eleitoral de todos os tempos. Guardadas as devidas proporções, é o verdadeiro Lula dengo-dengo. Para ficar ainda mais parecido, só faltava mesmo fazer campanha de dentro da cadeia, o que não é totalmente descartado, ao menos para os próximos pleitos.

Eu avisei

As inúmeras irregularidades cometidas na área da construção civil em Navegantes, com a conivência de servidores do primeiro escalão da administração, desde a autorização para construções fora dos padrões exigidos até a retirada criminosa de multas aplicadas por fiscais, finalmente serão trazidas à luz. O Ministério Público, por meio da Promotoria de Moralidade Administrativa, último bastião da licitude, chamou para esclarecimentos o chefe do trambique, digo, da Secretaria de Governo, Cassiano Weiss, além de ex-secretários de Planejamento Urbano, os últimos três ou quatro deles.

Puxe-se o fio

Certamente o respeitabilíssimo e irretocável promotor, Marcio Gay Veiga, vai destrinchar a organização criminosa que se formou no paço para favorecer alguns inescrupulosos empresários desse segmento. O potencial delitivo desta turma é enorme e certamente, ao fim das investigações, será possível desvendar também as negociatas que culminaram no putrefato é fétido novo Plano Diretor.

Sobe_Desce

DEIXE UMA RESPOSTA