Donos do mundo

A empresa de ferry boat que atua entre as cidades de Navegantes e Itajaí acostumou-se a fazer o que bem entende e não dar satisfações a ninguém. A prova disto é o valor exorbitante que cobra de pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas que precisam realizar a travessia, uma vez que as tarifas são superiores, se comparadas com vários outros serviços dessa natureza prestados em diversas regiões do Brasil. Porém, o mais recente exemplo da absoluta prepotência foi ter começado uma obra, quase ao lado da Prefeitura, sem alvará ou qualquer autorização legal para fazê-la.

Barrados no baile

A festa da referida empresa terminara em pleno sábado (05), depois que o prefeito Emílio Vieira (PSDB) passou pelo local e percebera a edificação irregular. O capilarmente desfavorecido chefe do Executivo ligou imediatamente para o fiscal Genivaldo Santos Queiroz, o qual precisara abandonar o descanso semanal para ir até o local, quando lavrou o Auto de Embargo número 921, paralisando a farra na área do ferry boat. Vale destacar os méritos do servidor público que utilizou veículo particular, gasolina do próprio bolso, ou seja, não mediu esforços para realizar a missão de brecar a ilegalidade.

Golpe de marketing

Não há como deixar de frisar que tal companhia atendia pelo nome de Empresa de Navegação Santa Catarina, mas diante da enorme insatisfação da população com os serviços por ela prestados, resolveu inovar, trocando o título para NGI Sul, porém, além da denominação, nada mais mudou. As balsas continuam em péssimo estado, não há fiscalização, a segurança é precária – tanto que recentemente um motociclista caíra de uma embarcação diretamente no rio – e as reclamações por parte dos usuários são recorrentes e corriqueiras. Para mudar isto, basta vontade política e cobranças por parte da população.

Festa da uva

A sessão de segunda-feira (07) na Câmara Municipal foi tumultuada e marcada por embates entre oposição e situação. Antes de discorrer sobre os fatos, cabe frisar que no Legislativo, o presente remete a um caminhão carregado com frutas, saiu do destino todo organizado, laranjas, melancias, maçãs e peras, cada qual em uma parte da caçamba, mas na primeira freada bagunçou geral, é pêra no lugar de mação, melancia misturada com laranja, difícil realmente saber onde deveria estar cada item. Digo isto porque a nova composição de forças entre apoiadores e contrários ao governo Emílio é uma salada mista.

Deu um pito

Até o presidente da casa do povo, vereador Alício Jacob Ricobom Filho (PSD), o Liço, usou a palavra para dizer que estava tal qual um marido traído, sendo o último a saber do que acontece na prefeitura, afirmando ser informado de certas decisões por terceiros, pela imprensa, ou seja, criticou os canais de comunicação entre ele e o paço municipal. O comandante da Câmara tem ligação quase umbilical com o prefeito e a demonstração de insatisfação gera especulações sobre a relação entre os chefes do Executivo e Legislativo que parece não viver os melhores dias.

Vamos aos fatos

Mas voltando ao bafão da sessão ordinária, a celeuma teve início na possibilidade de a empresa Lear cessar as atividades em Navegantes, o que teria gerado um pedido de informações da oposição, rejeitado em plenário. Acontece que tal possibilidade é apenas uma peça de ficção e fruto de muita desinformação, porque ao contrário do que vem se pregando, a multinacional tem inclusive planos de expansão, esses sim poderão sair de nosso município, o que sinceramente acredito ser pouco provável.

Briga desnecessária

Os vereadores perdem tempo às vezes em questões que não passam de boatos ou textos publicados em veículos de comunicação de conteúdo e credibilidade questionáveis. Ou até em fatos do boca a boca, tanto é que nesta mesma reunião citada anteriormente, afirmaram que o Secretário de Planejamento, Andrew Laurentino, houvera sido exonerado ou teria pedido a exoneração. Enganaram até este néscio e rechonchudo caça letras que levou a informação à frente, algo desmentido na sequência, pois o filho de Paulo Ney está lá no paço trabalhando, lépido, faceiro e serelepe.

Também acertam

Parte de discursos que merece citação é que vereadores alertaram ao prefeito que há um movimento golpista dentro do paço. Membros do primeiro escalão que lutam contra o governo e colocam a imagem do alcaide abaixo do imponderável, falando mal do chefe pelas costas. Eu trouxe o tema na coluna e reafirmo, tem uma turma que está fraudando licitações e desviando dinheiro público, no intuito de fazer caixa para as eleições de 2020. O objetivo é essa gente, a banda podre remanescente do governo passado, fazer uma filiação em massa no Partido da República (PR), para aplicar uma rasteira no prefeito.

Depois não reclame

Emílio parece não enxergar ou não querer ver o que está acontecendo embaixo de seu nariz. Vem alimentando um monstro que poderá engoli-lo dentro de pouco mais de dois anos. Todas as provas do que me refiro são evidentes, os golpistas batem e escondem a mão, mas deixam vestígios e alguns deles poderão respingar no incauto e míope alcaide. Quer ter certeza? Coloque gente para fiscalizar não as licitações, mas a entrega dos produtos comprados.

DEIXE UMA RESPOSTA