UFC na Câmara

A sessão na qual foi pedido o arquivamento da CPI do Carnaval teve um fim, porém, os efeitos daquela noite irão demorar muito para serem esquecidos e o imbróglio judicial que resultou daquele evento vai longe. Tudo porque o cidadão Ivan Horácio da Silva Junior, que vem a ser o cunhado do secretário de Saúde, Alcídio Reis Pera, resolveu distribuir socos e pontapés, quando a reunião já caminhava para o seu encerramento. O sujeito mostrou-se um grande covarde ao agredir uma mulher, um idoso e um garoto, não necessariamente nesta ordem.

Machão de araque

Ivanzinho, como é conhecido, entrou de capacete na casa do povo e desferiu socos em uma bela e indefesa moça, Heloísa Pena Paganelli, a filha do presidente da Câmara, Samuel Paganelli (PSDB). Depois partiu para cima de um jovem que mantém uma página no Facebook e, na sequência, não satisfeito com seu ato de selvageria, demência e covardia, agrediu o advogado Rui Dalton Miecznikowski, senhor de 61 anos, cujos cabelos brancos deveriam lhe garantir não passar por este tipo de situação. As vítimas saíram da sessão direto para a delegacia, onde registraram boletins de ocorrência.

Vai se complicar

É inacreditável que uma sessão do Legislativo municipal termine na delegacia e depois no Instituto Geral de Perícias, onde o advogado Rui Dalton precisou ir para realizar exame de corpo de delito. Mas se o cunhado de Cidinho pensa que irá se safar está muito enganado, pois as vítimas contam com as imagens gravadas no local para representarem criminalmente contra o agressor, que não conseguiu se esconder atrás do capacete, como talvez fosse sua intenção.  Resta agora aguardar pela Justiça, que é quem dará a palavra final neste lamentável episódio.

Dividindo a culpa

Ao encerrar a sessão, Samuel Paganelli, visivelmente emocionado por ver sua filha agredida de forma inexplicável e covarde, disse que a culpa pelo ocorrido era de ninguém menos do que o vereador Paulo Ney Laurentino (PSDB), que foi realmente quem subiu o tom durante a sessão, jogando gasolina nesta celeuma. Com o propósito de fazer o filho ser secretário de Planejamento Urbano, Paulo inflamou o plenário, tentando ganhar a disputa no grito, sem respeitar o presidente da casa ou mesmo o regimento interno da Câmara, o qual fora seguido a risca.

Enrolado na Justiça

O nervosismo e descontrole de Paulo Ney na segunda-feira (04), talvez tenha se dado por uma audiência no Fórum, realizada nesta mesma data, referente ao processo 0000257-72.2017.8.24.0135, no qual o vereador é réu por suposta extorsão a um fiscal de obras da prefeitura, fato que pode ilustrar os motivos pelos quais quer o filho na secretaria responsável por esta área. O autor da denúncia anexou farta documentação que comprova as acusações e irá embasar a demanda que deve tramitar na esfera criminal.

O processo

A demanda foi parar no Juizado Especial, mas o advogado que defende a vítima entrou com pedido de exceção de incompetência para levar o caso para a vara que julga apropriada, por entender não tratar-se de um crime de menor potencial ofensivo. O causídico, segundo consta, alega haver até mesmo coação, o que se comprovaria por um telefonema que teria por objetivo amedrontar a família do demandante. Não deu tempo de olhar todo o processo, o que prometo fazer até a próxima semana e assim trarei todos os detalhes na edição subsequente. Só digo uma coisa, é nitroglicerina pura.

Para que?

Nesta sexta-feira (08), a Prefeitura de Navegantes irá realizar um evento para entrega de duas novas viaturas para o 25º Batalhão de Polícia Militar. É de aplaudir a atitude do prefeito Emílio Vieira (PSDB) que em tempos de crise financeira ainda fez uma ginástica para ajudar na segurança pública. Mas o que deve ficar claro para a população é que mais do que veículos, a PM precisa de capital humano, soldados fazendo o patrulhamento das ruas, mas enquanto Emílio faz até mais do que pode nesta área, o governador Raimundo Colombo (PSD) não retribui, se negando a enviar policiais para a cidade.

Faroeste dengo-dengo

Nos últimos dias Navegantes registrou ao menos cinco homicídios, virou terra de ninguém, quem manda é a bandidagem. Colombo se esqueceu do município que só tem valor para o governo do Estado no momento que é para ajudar a formar o bolo da arrecadação, quando é para distribuir os recursos, fica sem nenhuma fatia. Lamentável ver os empresários se matando para pagar impostos e aumentar o PIB, mas isto não garantir o desenvolvimento sustentável, porque o dinheiro não volta. Raimundo pretende se candidatar ao Senado em 2018 e quero saber se este ingrato receberá algum voto de eleitores navegantinos.

Passando o bastão

Na próxima sexta-feira (15), haverá eleição para escolha da mesa diretora da Câmara Municipal de Vereadores. Nos bastidores o pleito já fora definido e o novo presidente será o vereador Alício Jacob Ricobom Filho (PSD), o Liço. A dúvida é como se dará a nova divisão de forças no Legislativo, já que o Executivo (governo) perde um voto no plenário e a questão é se o atual mandatário, Samuel Paganelli, irá votar como governista, oposição ou se adotará posição de independência. Como diz o ditado, quando a carroça anda é que as melancias se ajeitam, então vamos esperar para ver.

DEIXE UMA RESPOSTA