Por Renato Sandrini – Jornalista 44.852/SC – Editoria: Opinião

Tramóia das grossas

Descumprindo o acordo que fiz com meu psiquiatra de não falar mais com passarinhos, esta semana tive uma conversa longa com uma ave de bico grande e língua afiada, a qual denunciou a existência de um acordo envolvendo o vereador José dos Santos (PSD), vulgo Zé do Bairro São Paulo, para que ele vote contrário ao relatório da CPI do Carnaval, aquela que investiga supostas contratações ilegais por parte da Prefeitura de Navegantes. Caso posicione-se desfavorável ao parecer da comissão de inquérito, Zé conseguiria emplacar uma apadrinhada sua na diretoria da investigada Secretaria de Turismo.

Reincidente

Vale aqui ressaltar que o assunto ainda é colocado em caráter de suposição, porque sequer o relatório fora entregue para avaliação do plenário da Câmara de Vereadores. Apenas entro no tema, porque o Zé do Bairro São Paulo, em minha opinião, vendera seu voto (se envolvendo transação pecuniária não sei) no episódio da votação daquela lei que impediria vereadores de assumirem cargos na administração municipal. Até aqui o representante do bairro mais carente de Navegantes não mostrou a que veio e sinceramente não consigo acreditar em seus bons propósitos. Mas vamos esperar a votação.

Por falar nela

E já que entrei no mérito da CPI do Carnaval, conversei com várias fontes, pessoas envolvidas no dia a dia do Legislativo dengo-dengo e que tiveram acesso aos depoimentos dos investigados, e todas repetiram a mesma coisa, que o parecer que será apresentado pelo relator, vereador Cirino Adolfo Cabral Neto (PMDB), será pela procedência de irregularidades e pedirá punição aos envolvidos, podendo até culminar em um processo de impeachment contra o prefeito Emílio Vieira (PSDB). A votação do relatório deve acontecer ainda em outubro, nos últimos dias do mês.

Como será?

Para que o leitor possa entender o trâmite dos encaminhamentos que se darão daqui para frente, após Cirininho entregar o relatório final da CPI, caberá ao presidente da mesa diretora da Câmara, Samuel Vianei Paganelli (PSDB), determinar dia e hora para realização de uma sessão, provavelmente extraordinária – visto que o Legislativo realiza na próxima segunda-feira (23) a última sessão do mês, na qual a conclusão da comissão de inquérito será avaliada e votada pelo plenário da casa. Dependendo desta votação, o processo seguirá em frente, ou acabará ali mesmo.

Vai longe

Na eventualidade de o parecer da Comissão apontar que um dos encaminhamentos de todo este imbróglio deva ser o impeachment do capilarmente desafortunado prefeito, caberá ao plenário da Câmara decidir pelo prosseguimento ou não do feito. Na suposição de todos os encaminhamentos, o que dificilmente acontecerá, levarem ao processo de impedimento de Emílio, haverá nova etapa a ser cumprida, a qual não será concluída neste ano, só em 2018. Voltando ao que me trouxe a este assunto, resta fiscalizar a atuação do Zé do Bairro São Paulo, e ver se depois ele conseguirá emplacar sua cupincha no Turismo.

Dança das cadeiras

Notícias do paço dão conta de que haverá uma série de substituições no primeiro escalão da administração municipal, a partir de 2018. Entre as trocas dadas como certas, Alcídio Reis Pera sairia da Secretaria de Saúde, que seria assumida por Juliano Nildo de Maria (aquele acusado pelo MP de corrupção). Cidinho iria para a Administração, enquanto Lú Bittencourt assumiria o Bem Estar Social. Já na mais inacreditável das possíveis mudanças, Regina Célia Correia ganharia um pé na bunda e o ex-prefeito Roberto Carlos de Souza assumiria a Educação.

Será mesmo?

Enquanto tudo isto estiver em caráter meramente especulativo, vou me isentar de emitir qualquer opinião, pelo menos por enquanto. Porém, é nítido e notório o poder que Bob vem conquistando e ao se confirmar todas estas informações, ele terá conseguido dominar o paço, muito provavelmente com vistas ao seu retorno em 2020. Resta saber, é se ele estará em condições de elegibilidade nos próximos três anos, uma vez que o ex-prefeito tem muitas contas a ajustar, principalmente com a Justiça Federal. Parece uma história que todos já viram, é Lula lá e Roberto cá.

 Sem prestígio

Não consigo entender a pirotecnia que envolve o lançamento da Loja Havan em Navegantes. O proprietário da empresa, Luciano Hang, em 2008 fora condenado a 13 anos, 9 meses e 12 dias de reclusão, mais R$ 1,245 milhão em multa, por crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro. Ou seja, pelo visto não é um bom pagador de impostos, e mesmo que o seja, tal atividade gera impostos para o estado e para a federação, não para o município. Além disto, pelo que vi das contratações, só irão chamar os navegantinos para cargos menores, de baixos salários.

Falta respeito

Friso que em meu pensamento não há muito a comemorar, porque como colocado na nota anterior, os chefões da loja virão de fora e para locação dos espaços na praça de alimentação, por exemplo, no mínimo deveriam ter consultado empresas locais, dando oportunidade para a prata da casa, mas não foi isto que aconteceu, também virão de fora. Precisamos fomentar o comércio e as marcas locais, antes de servirmos de macacos de auditório para quem vem de longe.

DEIXE UMA RESPOSTA