Um latrocínio ocorreu na manhã de terça-feira (12) em plena avenida Prefeito Cirino Adolfo Cabral, a beira-mar, em Navegantes. O empresário Laércio João Vieira, de 62 anos, foi a vítima, baleada por Fábio dos Santos Esposito, de 31 anos. O autor do crime foi preso em operação conjunta das polícias Civil e Militar, menos de 24 horas após o ocorrido.

Laércio estava caminhando com sua esposa no calçadão da praia, em frente à antiga sede da Secretaria de Saneamento Básico (Sesan), no Centro, na manhã de terça, por volta das 9h30. Foi então abordado por um assaltante, mais tarde identificado por agentes civis e militares. O criminoso quis assaltar o transeunte, porém este não quis entregar uma corrente de ouro. Ao resistir ao assalto, o meliante atirou duas vezes contra o idoso, atingindo-lhe a cabeça e o peito. Devido à gravidade dos disparos, o senhor veio a falecer no local.

Após o crime, as forças policiais, em conjunto, começaram a investigação para encontrar o autor do crime hediondo. De acordo com a PM, foi possível checar detalhes do criminoso como rosto e as roupas usadas por ele por conta das câmeras de vigilância das residências que estavam pelo caminho, no trajeto de fuga do marginal.

Veste e pertences

Os agentes ainda localizaram um moletom deixado para trás pelo autor do crime, além um capacete, uma motocicleta e sua chave, abandonados pelo mesmo. Segundo informações oficiais, o endereço ao qual a moto estava registrada não era mais a residência do bandido.

Hospital Marieta

Os policiais conseguiram extrair informações de que Fábio havia se mudado há dois meses daquele lugar e que sua mãe trabalhava no Hospital Marieta Konder Bornhausen, em Itajaí. Uma equipe da Polícia Civil se dirigiu até o local e obteve o endereço da mãe, moradora do bairro Meia Praia. Familiares disseram onde o criminoso poderia estar.

A prisão

Policiais militares, junto com agentes da Polícia Civil e uma guarnição de apoio do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) foram até uma casa na Estrada Geral de Santa Lídia, em Penha, onde estaria o sujeito. Ao adentrar na residência, os policiais encontraram Fábio atrás da porta do banheiro, onde foi dada voz de prisão. Os agentes o acompanharam até a delegacia navegantina.

Confessou o crime

Após o interrogatório, Fábio confessou ser o responsável pelo crime e disse aos policiais onde seria de fato sua residência. No local indicado, foi encontrada a arma utilizada, um revólver calibre 38, que estava dentro do armário pertencente ao criminoso, além de uma balaclava (touca ninja), um coldre, vestes e o calçado utilizado durante o latrocínio.

Antecedentes

Esse não foi o primeiro crime cometido por Fábio dos Santos Esposito. Residente em Navegantes desde dezembro de 2016, ele já tinha passagens por roubo, extorsão mediante sequestro, tentativa de homicídio, entre outros, em São Paulo, sua cidade de origem. Ele estava assinando uma execução penal no Fórum local, porém a PM não soube informar até o fechamento desta edição se o benefício era de regime aberto ou livramento condicional.

Foi para a cadeia

Após as devidas diligências, Fábio foi conduzido ao presídio do Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí, na Canhanduba, em Itajaí.

Indignação

Devido à violência, a indignação da população navegantina aumentou, o que foi notado nas redes sociais. A Associação Empresarial de Navegantes (Acin), por exemplo, publicou uma nota na tarde de terça-feira sobre a questão.

Nota Acin

“A Acin, em nome de toda a classe, manifesta sua total indignação frente à violência que assola o município, bem como com o descaso das autoridades com a segurança pública. É com muita tristeza que vivenciamos mais um crime absurdo e injustificável, em plena luz do dia, na cidade de Navegantes. Vivemos mais um momento de consternação e seguimos em busca de respostas. Até quando, nós, pessoas de bem, seremos prisioneiros do medo da violência?”, escreveu o presidente da entidade, Rinaldo Luiz de Araújo.

DEIXE UMA RESPOSTA