A campanha nacional de vacinação contra a influenza (gripe) termina nesta sexta-feira (08). Em Navegantes, o resultado final está abaixo do esperado pela Secretaria Municipal de Saúde. Até a última atualização dos números da pasta, realizada na quarta-feira (06), apenas 69% dos grupos prioritários foram vacinados. Enquanto isso, a expectativa era de que esse resultado se aproximasse dos 100%. Para o Ministério da Saúde, o objetivo era atingir 90% do público-alvo.

Segundo a enfermeira da Vigilância Epidemiológica, Rosane Nascimento, o número de vacinados é decepcionante. A busca foi aquém dos últimos anos. Em 2017, por exemplo, mais de 95% do público-alvo foi atendido pela campanha de vacinação. A campanha deste ano foi prolongada por uma semana pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado (Dive/SC), devido às dificuldades de mobilidade enfrentadas pela população em decorrência à greve dos caminhoneiros e o desabastecimento de combustíveis. Mesmo com a volta à normalidade, as pessoas dos grupos prioritários não buscaram os postos de saúde para se proteger contra a influenza.

A Vigilância Epidemiológica divulgou os números de doses aplicadas em Navegantes dos grupos prioritários.

Números

Crianças de seis meses até cinco anos de idade, foram atingidos 44,9% – totalizando 2.220 doses. Dos idosos, 98,02% deles foram atendidos – o equivalente a 645 doses. Gestantes foram menos da metade, 44,38%, o que corresponde a 482 doses. Das puérperas (mulheres que tiveram bebê em até 45 dias após o parto), 55,31% delas foram vacinadas – 99 doses foram aplicadas.

Saúde e educação

Dentro dos grupos prioritários, trabalhadores da saúde e os professores tiveram os melhores resultados. Enquanto os profissionais da saúde tiveram um percentual de atendimento em 98,02% (645 doses), os profissionais da educação atingiram 100% (786 doses).

Apenas uma semana

Diferente de muitas regiões do país, Santa Catarina optou por prorrogar a vacinação por apenas uma semana, enquanto outros estados, seguindo recomendação do Ministério da Saúde, prolongaram por duas semanas. O Dive/SC alega que todas as doses foram devidamente recebidas pelos municípios, então a greve não afetou a distribuição das doses.

Nota técnica

Por conta da baixa aderência à vacinação, é possível que as doses remanescentes fiquem disponíveis, a exemplo de outros anos, para pessoas fora do público-alvo. Entretanto, para tal, é necessário o envio de uma nota técnica do Ministério da Saúde permitindo a ação. Até o fechamento desta edição, contudo, a Secretaria Municipal de Saúde ainda não havia recebido o documento com a autorização.

Onde vacinar?

Quem estiver nos grupos prioritários e ainda não se vacinou, pode se encaminhar ainda hoje para as unidades de saúde básica que possuem sala de vacinação. São elas: Central, Gravatá, Verde Mar, São Pedro, São Paulo, São Domingos II, Porto das Balsas, Nossa Senhora das Graças, Machados e Escalvados.

DEIXE UMA RESPOSTA