Moradores da área central de Navegantes, em especial da rua Vicente Honorato Coelho, vêm relatando recorrentes quedas de energia, principalmente no mês de agosto, quando as ocorrências de falhas foram frequentes, praticamente toda as semanas. Por conta disso, o Jornal O Navegantes foi atrás de respostas aos munícipes que se sentem prejudicados pela situação.

Uma moradora do citado logradouro diz que já se acostumou a ficar sem luz de vez em quando. Em seu celular, ela registra algumas das quedas – a Celesc, detentora da concessão de comercialização e distribuição de eletricidade, envia mensagens de texto para alguns moradores que registram seus números de celular sobre quedas e restabelecimento do abastecimento. As mensagens registram apagões em 2017 (em 29 de outubro) e outros seis em 2018, sendo um em 22 de março, um em 25 de abril e outros quatro em agosto (nos dias 04, 07, 19 e 22). Apesar de não haver registro no celular, a moradora alega que no último fim de semana também houve uma breve queda de energia na área já mencionada.

A rua é a mesma onde fica situada a Escola Municipal Professora Elsir Bernadete Gaya Müller, que consequentemente é atingida pelos apagões também.

Povo quer respostas

A frequência do desabastecimento no último mês fez aumentar o número de reclamações dos moradores que querem saber o motivo pelo qual há tantas quedas de energia na cidade, apesar de haver uma subestação para atender a comunidade.

Resposta da Celesc

A equipe de reportagem conversou sobre o problema com Luiz Carlos da Silva Xavier, gerente técnico da Celesc. Em poucos minutos, ele conseguiu encontrar no sistema os motivos que levaram à queda de energia em algumas datas do mês passado. No dia 22, houve rompimento na conexão, mais especificamente no jumper do transformador (condutor utilizado para conectar dois pontos de um circuito eletrônico), causado por conta da maresia. Na ocasião, foi realizado o reparo e o tempo sem abastecimento na rua foi de 42 minutos.

Curto circuito

No dia 19, houve um curto circuito devido a ventos que arrebentaram um TAP da conexão (usado em condutores e fios rígidos e flexíveis para facilitar a emenda que pode ser feita sem a necessidade de solda ou isolação), rompendo assim o circuito. Na ocasião, os moradores de uma área no Centro, inclusive na rua Vicente Honorato Coelho, ficaram cerca de quatro horas (das 20h59 às 1h) sem energia elétrica, até que o serviço fosse restabelecido.

Ação preventiva

Segundo o gerente técnico da Celesc, aparentemente está ocorrendo um problema no começo do alimentador de energia na área em questão. Por conta disso, Xavier disse que será realizada uma inspeção no local para verificar o que está acontecendo, uma espécie de trabalho de ação preventiva. “Vai ser passado um equipamento termográfico para fazer o levantamento das conexões. Verificando isso daí, vamos sanar os problemas”, explicou. Segundo ele, a vistoria e a resolução da situação devem ocorrer entre 15 e 30 dias.

DEIXE UMA RESPOSTA