Através de recursos oriundos do Governo Federal, escolas do município vêm implantando hortas escolares irrigadas através de captação de água da chuva. Hoje já são três contempladas, sendo a mais recente a Escola Municipal Professora Idília Machado Ferreira, localizada no bairro Pedreiras.

Segundo Tatiane Nascimento, técnica da Secretaria de Educação e coordenadora do projeto horta escolar, a pasta solicitou, ainda em 2014, que 11 escolas municipais fossem contempladas por recursos do Governo Federal, a partir do sistema PDDE (Plano de Desenvolvimento da Escola) Interativo. Mesmo entrando no planejamento do órgão, o repasse foi liberado somente dois anos depois, em 2016. Com o foco na sustentabilidade, dentre algumas das finalidades do dinheiro – um investimento de R$ 120 mil para o município –, uma delas era exatamente a execução das hortas com captação da água da chuva, que contemplou três escolas: Professora Izilda Reiser Mafra, na Volta Grande; Professora Vilna Corrêa Pretti, no São Domingos; e o Idília.

Na escola Idília, o trabalho com os alunos se iniciou há quase um mês. “A ideia é fazer com que eles respeitem o meio ambiente, trabalhem a sustentabilidade dentro do espaço escolar e fazer com que o aluno seja multiplicador dessa ideia”, disse Tatiane.

Sistemática

Cada sala de aula é responsável por um canteiro e, semanalmente, o professor responsável pelo projeto, Jaison José Policarpo, leva os alunos até a horta e faz a explicação dos cuidados, como funciona a captação da água da chuva para irrigar o canteiro, além do trabalho de adubagem através de compostagem, ou seja, com restos de alimentos.

Toda comunidade

O professor ressalta que este é um projeto de toda a comunidade no que consiste na preservação e conservação da horta, mas os alunos são os verdadeiros responsáveis por mantê-la funcional.

Sustentabilidade

O diretor da escola, Germoci Vailatte de Oliveira, também comentou sobre o trabalho dos estudantes. “O projeto fez parte da V Conferência Nacional do Meio Ambiente e desde o início do ano, envolve todos os alunos, pois, cada turma é responsável por um canteiro. Acreditamos que através dessas ações, chamamos a atenção de nossos alunos para a importância de se trabalhar a sustentabilidade”.

Horta própria

Outras escolas, como o Centro de Educação Complementar Cidade da Criança, localizado no bairro São Paulo, também possuem horta própria. Nesta unidade de ensino especificamente, o cultivo de hortaliças e legumes vem ocorrendo desde o início do ano letivo por alunos do contraturno escolar.

DEIXE UMA RESPOSTA