A Associação Empresarial de Navegantes (Acin) está com dois projetos que tem focos diferentes: o Programa de Gestão e Vivência Empresarial (PGVE) é destinado aos empresários da cidade, enquanto o Acin nas Escolas foca nos alunos do município.

O PGVE é realizado em parceria com a Fundação Empreender, Unisociesc e Fundação Getúlio Vargas (FGV). Nele, a ideia é trazer ferramentas de inovação e gestão às empresas da cidade, principalmente as de médio e pequeno porte, como liderança, domínio da tecnologia, rede de relacionamento e competências essenciais aos negócios. O programa já é realizado em outros municípios catarinenses como Joinville e Rio do Sul, mas é inédito em Navegantes. O primeiro grupo a participar do projeto é composto por 50 empresários (ou filhos de empresários, desde que possuam curso superior) ligados à Acin.

Ao todo, serão oito módulos ao longo de 12 meses, com aulas segundas e terças-feiras, uma vez por mês, das 16h às 22h. O corpo docente será formado por professores com experiência de mercado em sua área de especialização. Os módulos são: liderança e metas; gestão de pessoas; inteligência comercial; estratégia empresarial; planejamento e controle financeiro; análise de demonstrativos financeiros; modelo de tomada de decisão; sustentabilidade do negócio.

Primeiro módulo

O primeiro módulo foi realizado na segunda-feira (24) e terça-feira 25. A cada módulo, haverá também uma palestra com o profissional convidado, aberta ao público, sempre nas manhãs de terça quando houver aula. Nesta semana, o convidado foi José Waldo Camurça da Silveira Filho, professor da Fundação Getúlio Vargas, que tratou do tema “inteligência emocional como uma habilidade de negociação”.

Acin nas Escolas

O Acin nas Escolas também é um projeto novato. Segundo o presidente da entidade, Rinaldo Araújo, sabe-se que muitos jovens do município saem das escolas ou vão para o último ano de estudos desmotivados, sem incentivos para o futuro. Percebendo isso, com o auxílio e acompanhamento da mestre pedagoga e doutoranda em educação Adriana Macarini, a associação resolveu criar um programa que consiste em uma conversa informal com alunos do ensino médio, mostrando exemplos positivos da cidade, a trajetória desses empresários, mostrar que existem sim dificuldades mas que há ferramentas para superá-las.

Duas edições

Até o momento, foram realizadas duas edições, ambas com alunos do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual de Educação Básica Professora Júlia Miranda de Souza. A última ocorreu no dia 19, com a presença de 90 alunos. Segundo Rinaldo, a pretensão é expandir para outras escolas e também retornar às unidades de ensino já visitadas posteriormente com um novo ciclo de palestras, com profissionais de diversas áreas.

DEIXE UMA RESPOSTA