Flexibilizar os horários, equilibrar a vida pessoal e profissional e ganhar mais.

Esses são desejos demuitas pessoas que pensam em largar o emprego com carteira assinada para ser freelancer, mas isso tem um preço. Afinal, quanto custa ser autônomo ou microempreendedor individual?

Ao largar o emprego para trabalhar por conta própria, você pode escolher se continuará como pessoa física, sendo autônomo, ou se você se tornará uma pessoa jurídica, como Microempreendedor Individual (MEI). Essa escolha determinará o volume de impostose benefícios que você e os clientes que contratam seus serviços pagarão.

É mais barato ser pessoa jurídica do que autônomo ou assalariado, porque o governo quer que as pessoas abram empresas e saiam da informalidade.

Veja abaixo quanto custa ter carteira assinada, com base nos impostos e benefícios que você é obrigado a pagar.

  1. Carteira assinada

A segurança da carteira assinada custa caro. Com ela, você paga todo mês 11% do seu salário para o Instituto Nacional de Segurança Social (INSS).

Além disso, você também tem o Imposto de Renda (IR) descontado do seu salário mensal pela tabela progressiva, cujas alíquotas variam entre 7,5% e 27,5%, de acordo com a sua renda, você também custa para a empresa que o contratou. Ela paga todo mês 20% do seu salário para o INSS, 1% para o seguro de acidente de trabalho, 5,8% para terceiros e 8% de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

  1. Microempreendedor Individual (MEI)

Percebeu como ter carteira assinada tem seu preço e se sentiu estimulado a ser freelancer? Antes de tomar essa decisão, lembre que, ao trabalhar por conta própria, você não terá benefícios como plano de saúde da empresa, férias remuneradas, 13º salário e seguro desemprego.

Mas, como MEI, você é isento de IR e paga apenas R$ 50 reais por mês como prestador de serviços.

Terá um registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita o pedido de empréstimos em bancos e a emissão de notas fiscais. Outra vantagem é que a empresa que contrata o MEI não paga nada além do serviço prestado, o que pode se tornar um diferencial no mercado em relação aos freelancers autônomos (pessoa física), que custam caro para quem os contrata.

Para ser MEI, é preciso ter uma das atividades profissionais que podem optar por esta forma de tributação e ganhar até 60 mil reais por ano.

Agora quem decide o que é melhor é você!

Bom Fim de Semana!!!

DEIXE UMA RESPOSTA